O SSP crescem crimes contra o patrimônio no Estado

Publicado: 31 de outubro de 2013 em Uncategorized
Tags:, , ,

O dado positivo das estatísticas divulgadas ontem pelo governo é a redução de 6% dos homicídios mótemo 

Cinco dos sete principais índices de criminalidade do Rio Grande do Sul pioraram na comparação entre os nove primeiros meses do ano passado e deste ano. Apesar da leve redução de homicídios registrada nos dados divulgados ontem pela Secretaria da Segurança Pública, os assaltos, incluindo os que acabam com vítimas fatais, aumentaram. Nos latrocínios, foram 23 mortes a mais no período, um acréscimo de quase 40% dos casos.
A impunidade dos bandidos é apontada pelo delegado Guilherme Wondracek, chefe do do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), como um dos fatores que podem influenciar neste aumento. Ele recorda de um caso em que o assaltante foi reconhecido por oito vítimas, ficou preso por três meses, foi solto e preso novamente.
Na comparação entre entre janeiro e setembro do ano passado e deste ano, os furtos de veículos e os roubos subiram 8,52% e 12,8%, respectivamente. Os latrocínios, roubos com morte, cresceram 38,9%, de 59 casos em 2012, para 82 em 2013.

O abrandamento da prisão preventiva e a falta de lugar nas cadeias geram uma reincidência muito grande principalmente no roubo de veículos– afirma o delegado.

Redução de assassinatos tem relação com novas DPs

Apesar de alarmantes na comparação de um ano para o outro, os dados de roubo e roubo de veículos tiveram considerável redução de agosto para setembro deste ano. Foram 422 roubos a menos e 172 motoristas que deixaram de ser ameaçados por bandidos. Wondracek não sabe a que atribuir o dado positivo, mas espera que seja fruto do trabalho dos policiais, focados nas prisões em flagrante. Já a queda de 6,3% no número de homicídios tem explicação para o diretor do Deic.

“Houve uma estratégia diferenciada, com incremento no número de delegacias” – ressalta Wondracek.

O secretário estadual da Segurança Pública, Airton Michels, também atribui a redução de homicídios ao aumento no número de delegacias especializadas.

Ocorrências de alta

http://www.clicrbs.com.br/pdf/15796815.pdf

LETÍCIA COSTA E THIAGO TIEZE

SUA SEGURANÇA | HUMBERTO TREZZI

       Menos 100 mortes

A redução de 6,3% nos homicídios, na comparação entre janeiro e setembro de 2013 e do ano passado, pode parecer pouco em percentual. Mas são praticamente menos 100 mortes. Menos 100 famílias chocadas, em frangalhos. Muitas delas herdam o fardo de lidar com órfãos para criar.
Não foi feito estudo aprofundado a respeito, mas é possível que o deslocamento de mais policiais para a tarefa de investigar assassinatos tenha contribuído para a redução. Desde janeiro o Estado conta com 16 delegacias de Homicídios. Até então existiam apenas duas. É um avanço e tanto, mérito para o governo, que apostou numa bandeira levantada há anos pelas polícias e também por estudiosos da criminalidade.
Pena que no combate aos crimes contra o patrimônio a situação vai mal. Há anos a Capital é destaque nacional entre capitais, no ramo dos assaltos. Agora ganhou a companhia do Estado como um todo. Uma tarefa que exige resposta, mais do policiamento ostensivo do que do investigativo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s