Posts com Tag ‘Amapergs-Sindicato’

Após encontro com governador Sartori, Sindicato se reúne com secretário da Segurança!!!
1900789_372794012904854_2829298484171691246_o

Presidente e Diretores do Sindicato com o secretário da SSP

Na tarde de ontem, dia 03 de fevereiro do corrente ano, o AMAPERGS/Sindicato esteve reunido com o Secretário de Estado da Segurança Pública no RS. Wantuir Jacini.

Na oportunidade, o Presidente Flávio Berneira, em resposta as recentes reportagens, enfatizou a idoneidade dos servidores penitenciários, bem como o comprometimento dos mesmos diante das dificuldades que o Sistema Penitenciário enfrenta, como a superlotação de apenados, e do outro lado da balança, o déficit de servidores.
O Diretor Nélson Azevedo, também utilizando da palavra, informou o Secretário de como acontece o cotidiano dos servidores penitenciários.
Por fim, o Secretário Jacini enfatizou da importância de qualificar o servidor penitenciário, bem como a necessidade de firmar convênios com empresas privadas para utilização de mão-de-obra prisional.
Os dirigentes do sindicato reforçaram que a SUSEPE não pode sofrer redução de HE e Diárias, pois isto agravará ainda mais o deífict de servidores que já é crítico. Nesta época do ano aos riscos ficam ainda maiores, pois até o mês de abril as penitenciárias vivem o conhecido ambiente de tensão.
Neste encontro foi entregue um documento que aborda outros temas como a necessidade de habilitação dos colegas APAs e TSPs para o porte de armas, ampliação da frota de viaturas e aquisição de armamentos. Foi também entregue ao Secretário Jacini cópia do documento entregue ao Governador na reunião ocorrida em janeiro, onde o sindicato cobra o atendimento de questões como o reajuste de 15.76%, Revisão da Tabela de subsídios dos APAs, aumento do efetivo de APAs, TSPs e APs, aproveitamento dos TSP’s remanescentes que aguardam no cadastro reserva; Legislação que garanta a promoção extraordinária aos colegas que, em decorrência do serviço, aposentaram-se por invalidez ou vieram a óbito, etc.

Já solicitamos novo encontro com o Governador quando esperamos respostas as pautas apresentadas.

O PL n° 237/2014, que versa sobre a aposentadoria especial das servidoras penitenciárias ACABA DE SER APROVADO NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA, POR 41 VOTOS SIM, e nenhum contra!

10846473_351179171733005_8330598685571972237_n 10393756_351181255066130_521280979224215478_n 10806209_351181485066107_2454922855314474231_n 10616291_351183598399229_334279225406179832_n 10381976_351183585065897_9051529346461733506_n 10502263_351183761732546_1026167356472516176_n

Parabéns servidores(as) penitenciários por se unirem em prol da categoria. Esta é uma demonstração de luta e conquistas quando há presente a união e força da categoria. Quando se atende o chamado do Amapergs Sindicato, a vitória sempre está logo ali.
PARABÉNS SERVIDORES PENITENCIÁRIOS, EM ESPECIAL ÀS NOSSAS SERVIDORAS!!!

Essa foi a primeira vez que foi a Cachoeira do Sul, na sexta-feira, dia 28/11, por isso foi muito feliz, com 15 veteranos no VAN, e com bom colegas em jantar no UCASP, 1º Núcleo do Amapergs-Sindicato encontro de veteranos da Susepe.

No sábado foi o almoço em ótimo restaurante e depois votamos à Porto Alegre, com o VAN.

10452895_954444074583946_7667106721419183945_o

O ótimo jantar

10802066_720425328047862_8164580469742644011_n

O 15 veteranos – VAN de Porto Alegre

1412320_954444944583859_6834553497758007310_o 10256769_954443877917299_6449815327722402607_o 10468142_954444471250573_5195161786899097598_o 10608755_954443811250639_6970782600895223722_o 10636883_954443951250625_5987709438721157475_o 10700363_954443534584000_41876624787806050_o 10750447_954442787917408_3316963653389301808_o 10835407_954443821250638_252510868540369586_o

Amapergs-Sindicato

PROMOÇÕES E RECOMPOSIÇÃO INFLACIONÁRIA DE 15,76%!!!

- Promoções: O Amapergs Sindicato conseguiu diretamente da Casa Civil a autorização para que a SUSEPE realizasse as promoções ainda neste ano. Esta matéria já havia sido publicada, como não teve nenhuma mudança, a informação permanece a mesma;
- Recomposição inflacionária de 15,76%: queremos lembrar que NENHUM órgão da segurança pública ganhou efetivamente este aumento, apenas a promessa, através de legislação, de que será pago, visto o primeiro aumento ser em maio/2015. O Sindicato busca com o Governo a sensibilização para este pagamento, uma vez que, juntamente com a Aposentadoria Especial para as Servidoras Penitenciárias, foram compromissadas em ter o encaminhamento depois que se findasse o período eleitoral.

Todos os assuntos pertinentes da categoria são tratados pelo Sindicato em TODOS OS MOMENTOS. Quando se há avanços ou novidades, são divulgados pelo Sindicato, como sempre foi feito. Se não há nova publicação, permanece a publicação anterior, onde os colegas que acompanham tem o conhecimento.
O Sindicato é o maior interessado nas conquistas da categoria, pois somos sua representatividade, e a força do Sindicato não vem dos Seus Diretores, e sim da própria categoria. Lembrando também, que o Sindicato é composto de servidores penitenciários, que fazem parte da categoria, e são atingidos pelas conquistas. Conquistas são da categoria, da qual TODOS fazemos parte! O sindicato é apenas uma ferramenta utilizada pelos servidores, para que se busque novos Direitos, valorização. melhores condições de trabalho, entre outros.

Contem sempre com o AMAPERGS/Sindicato – O Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado do Rio Grande do Sul!

“SUA PARTICIPAÇÃO É A NOSSA INSPIRAÇÃO. SUA UNIÃO É A NOSSA FORÇA”

FILIE-SE!!!

Policiais e agentes penitenciários aguardam contratações para coibir violência no Estado

Karina Reif

Com a definição de José Ivo Sartori para o governo do Estado e de Dilma Rousseff para a Presidência da República, a área da segurança gaúcha está na expectativa de um impulso para conseguir melhorias para a classe, como valorização dos servidores, melhora da estrutura e políticas específicas para o setor. O presidente da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), Leonel Lucas, lembrou que o policial militar no RS tem uma remuneração menor do que a dos outros estados. “O salário inicial é de R$ 2,2 mil e este é o grande problema, pois os nossos brigadianos precisam morar de aluguel ou nas favelas”, afirmou Lucas. A entidade e os demais representantes de sindicatos já haviam enviado a todos os candidatos uma pauta de reivindicações. Antes de se eleger, José Ivo Sartori se comprometeu com o aumento do efetivo dos policiais civis e militares. 

As expectativas são sempre grandes com um novo governo”, ressaltou Lucas. “Esperamos que ele escolha um secretário de Segurança com conhecimento do setor e que mantenha o diálogo”, declarou. O presidente da Abamf lembrou que atualmente o efetivo da Brigada Militar conta com 24 mil homens, quando o ideal seria 36 mil. Ele lembrou que ainda há falta de equipamentos como colete à prova de balas. “Usamos revólver, enquanto os criminosos estão com metralhadoras”, comentou Lucas. Quanto ao governo federal, a Abamf deve continuar pedindo a aprovação de um fundo para a segurança e a criação de uma lei que agrave a pena de acusados de matarem policiais.

A Associação dos Oficiais da Brigada Militar (AsofBM) tem demandas como o reconhecimento da carreira jurídica de nível superior para a classe e a preservação das funções constitucionais da corporação. O diretor de divulgação da entidade, major Marcelo Pinto Specht, ressaltou que a associação também acompanha com muito interesse o andamento de projetos de lei, que digam respeito diretamente à categoria. 

O presidente da Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (ASSTBM), Aparício Costa Santellano, também espera valorização e qualificação do trabalho dos servidores da segurança, em todos os níveis. “Esperamos que o novo governador cumpra as promessas feitas durante a campanha eleitoral”, acentuou Santellano. O presidente da associação afirmou ter esperança de que haja uma melhora salarial para os sargentos e tenentes da Brigada Militar.

PF quer atenção à investigação

Após a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o Sindicato dos Policiais Federais do Rio Grande do Sul (Sinpef/RS) espera que o governo dê atenção maior para os serviços de investigação e de administração da instituição. “A própria presidente assumiu que ficou devendo na área da segurança nos últimos quatro anos”, observou o presidente da entidade no RS, Ubiratan Antunes Sanderson. A expectativa é que a partir de janeiro a postura da União mude. 

A categoria quer principalmente aumento de efetivo. Hoje, são 12 mil federais no Brasil, enquanto o número ideal é de 20 mil. “Todos os serviços de investigação e administração de fronteiras ficam prejudicados”, ressaltou Sanderson. Com oito delegacias, o RS é o estado com mais unidades na fronteira. Para manter a qualidade do trabalho, a categoria reivindica a regulamentação de uma lei, já sancionada pela presidente, que prevê indenização de R$ 90 por dia aos servidores que atuam nesta área. Sanderson lembrou da necessidade de melhor aparelhamento para o combate à corrupção. Também é preciso o reconhecimento de nível superior dos agentes federais para que o trabalho de investigação receba maior qualificação. 

“É preciso aumentar o efetivo”

A preocupação do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Rio Grande do Sul (Amapergs) é relativa à contratação de novos agentes e à superlotação dos presídios em todo o Estado. “A maioria dos presídios tem o dobro da capacidade”, acentuou o presidente da entidade, Flávio Berneira. “Precisamos da recomposição do efetivo, porque a lei prevê 6 mil e temos apenas 4 mil servidores”, declarou o presidente da entidade. 

Conforme ele, a defasagem acarreta em precarização do trabalho nas penitenciárias gaúchas. Segundo Berneira, a classe tem também um projeto de regulamentação de carreira em nível federal. A respeito das declarações de Sartori na época da campanha sobre a possibilidade de Parcerias Público Privadas (PPP) para a área dos presídios, o presidente da Amapergs declarou que a construção e a manutenção das estruturas podem ser atribuídas a empresas privadas, mas não o trabalho com os presos. “Somos contra qualquer tipo de privatização dos serviços, mas não temos dificuldade em discutir as PPPs na construção e na manutenção”, assegurou. 

A presidente da Sindicato dos Servidores da Polícia Civil RS (Sinpol), Ilorita Cansan, também lembra da defasagem do efetivo. Há no RS 5,2 mil policiais civis, quando o ideal seria 12 mil. “Prejudica todos os trabalhos, desde a investigação até o atendimento dos plantões”, explicou. “Esperamos que o novo governador mantenha a discussão das pautas”, destacou. Uma das demandas é o ingresso de cerca de 650 alunos aprovados em concurso para fazer a Academia de Polícia. “Já temos uma turma de 700, que deve começar a trabalhar em breve”, resumiu. 

O Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do RS (Ugeirm) considera que houve melhorias para a classe no atual governo e espera que José Ivo Sartori dê continuidade ao que já foi conquistado. Entre os itens está o aumento de salário escalonado até 2018 e as promoções. “Também conquistamos a aposentadoria diferenciada”, relembrou o presidente da entidade, Isaac Ortiz. “Hoje a categoria está com autoestima muito grande”, declarou, lembrando do trabalho nas delegacias de homicídios. “Com índice de resolução de 70%.” 
A Associação de Bombeiros do RS, segundo o coordenador-geral da entidade, Ubirajara Ramos, espera da nova gestão uma política específica para a corporação e um orçamento próprio. Além disso, é preciso aumentar o efetivo. “Cotamos com 2,6 mil servidores, cerca de 40% da necessidade estadual.” 

Susepe propõe força-tarefa para inauguração dos presídios de Venâncio Aires e Canoas

Reunião entre a Amapergs-Sindicato e a Susepe

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira (16), no Palácio Piratini, o Governo do Estado e a direção do Sindicato dos Servidores Penitenciários do RS (Amapergs – Sindicato), negociaram a viabilização da inauguração das penitenciárias de Venâncio Aires e Canoas, previstas para outubro.

O diálogo entre o executivo e a categoria resultou na proposta de uma força-tarefa, que atuará com servidores penitenciários cumprindo diárias nos presídios, até que os 602 concursados, que estão realizando curso de formação, estejam aptos para assumir suas funções.

Ao todo serão abertas inscrições para 280 diáristas com diárias de deslocamento, sendo 160 para o presídio de Venâncio Aires e 120 para o de Canoas. A adesão à força-tarefa ocorrerá de forma voluntária e as inscrições serão realizadas de 17 a 24 de setembro. As informações serão disponibilizadas no site da Susepe.

Participaram da reunião o chefe da Casa Civil, Flávio Helmann, a secretária de Assessoramento Superior, Mari Perusso, o superintendente da Susepe, Gelson Treiesleben, e a secretária-Geral de Governo adjunta, Iti Guimarães.

Desocupação do Presídio Central

A inauguração das penitenciárias de Venâncio Aires e Canoas é o resultado de um compromisso do Estado em desocupar o Presídio Central. Além dos 602 agentes que estão em curso de formação, em dezembro será iniciada uma nova turma. Também está previsto o lançamento de edital para um novo concurso público, com cerca de 400 vagas, em janeiro de 2015.

Durante o encontro, foi acordada, ainda, a participação da Amapergs-Sindicato no Comitê Gestor do Presídio Canoas 1, que terá um modelo diferente de gestão prisional.

Texto: Joice Proença

A direção do Amapergs Sindicato, esteve no Tribunal de Contas/MP de Contas e Ouvidoria do TCE, Fazendo a entrega de expediente onde foi solicitado a suspensão cautelar do processo de privatização da Penitenciária de Venâncio Aires.
TOMEI A LIBERDADE DE PUBLICAR ABAIXO O TEXTO DA COLEGA LUCI QUE MUITO BEM RETRATA A REUNIÃO OCORRIDA NO DIA DE HOJE COM O CODIPE

Resumo da reunião com o CODIPE por Luci Rigo:

Participaram da reunião os representantes do Governo: Heitor e Gilberto, o presidente da Amapergs Flávio Berneira. As componentes da Comissão pela Aposentadoria das Mulheres da SUSEPE: Andréia, Faltemara, Luci Rigo, Marta, Miracy e Silvana. Os APAS José Eduardo, Vaguene e Sandro.

Inicialmente foi feito uma retomada pelo Flávio, das razões que levaram a categoria a deflagrar o estado de greve. Em seguida tratamos dos seguintes pontos:

  1. Anistia dos dias de greve: foi colocado sobre a insatisfação da categoria em ter que compensar os dias de greve bem como as dificuldades de compensação pelas peculiaridades das casas, das escalas de cada segmento de servidores. Foi solicitado que isto seja revisto pelo governo.
  2. Promoções: Foi levantada a questão do pagamento dos dias de abril, referentes às promoções e explicado que o RHE precisa atualizar as classes dos promovidos, no sistema e esse valor deve sair na próxima folha de pagamento.
  3. Assédio Moral no período pós greve: Os representantes nos perguntaram como foi a volta ao trabalho e foram apontados alguns casos de assédio moral por parte de alguns gestores, assim como atitudes/posturas ou melhor a falta de postura e profissionalismo que não condizem nem moral e nem profissionalmente com pessoas em cargos de chefia. Isso ficou de ser verificado pelo governo.
  4. Reajuste salarial: Embora o Governo não possa assumir um compromisso formal, por escrito com a categoria, visto isso incorrer em ato ilícito, pelo período eleitoral, os representantes do Governo assumem o compromisso de logo após as eleições, sendo este governo eleito ou não, chamarem o sindicato para tratar de como se dará este reajuste.
  5. Situação dos APAS: Foi colocado 3 alternativas para a solução do impasse: 1ª equidade salarial entre APA e Investigador da policia civil; 2ª retomada da verticalidade, que garantiria um ganho salarial mais justo; 3ª remeter para a extinção da função. Neste caso foi entregue um projeto que se baseia na criação do cargo de “Oficial de Serviços Penitenciários” do projeto do Governo Federal, que está em andamento.
  6. Aposentadoria das Servidoras Penitenciárias: Foi nos dito que continuamos dependendo da esfera Federal. Lembramos que o PLP 00275/2001 está na mesa da Presidenta ou a caminho de … o prazo para a sansão da Sra. Presidenta/Candidata, para dar o seu aval é de 15 dias UTEIS. A Comissão deixou claro que na verdade não existe a dependência de uma coisa para que a outra aconteça. (até então não estava atrelada uma coisa a outra) Colocamos também que o projeto que lá tramita é referente às mulheres policiais e não Agentes Penitenciárias. Argumentamos (mais uma vez, e como se fosse a primeira) baseadas na C. F. no seu art. 40, que regulamenta aposentadorias especiais e garante a isonomia entre homens e mulheres.
Relato da reunião com o governo!

Com presença expressiva de colegas de diversos presídios e órgão central, a categoria realizou ato público no Centro Administrativo. Com apitos, tambores e cornetas fizeram uma manifestação barulhenta e durante horas.
A reunião que ocorreu com a presença da AMAPERGS, APROPENS, além de representantes da Comissão das Mulheres pela Aposentadoria, e comissão dos APAs, E PELO GOVERNO A Secretaria Mary Perusso, Secretario Flávio Helmann, além do secretario da Administração e demais representantes da secretaria da fazenda.
Após uma reunião muito tensa, para dizer pouco, o resultado foi o seguinte: 
Promoções: foram ampliadas as vagas promovíeis, estando os servidores em estágio probatório, passíveis de promoção.
Com relação ao Subsídios dos APA’s e a Aposentadoria das Mulheres, o governo informa que a negociação não estaria encerrada, registraram ainda que a aposentadoria das mulheres também dependeria do projeto que tramita na Câmara dos Deputados.
Reajuste geral: o aumento de 15,76%, não será estendido aos servidores da Susepe, por não ter tempo hábil, visto ser o período eleitoral.
Informamos que o Governo manteve uma postura de NÃO NEGOCIAR COM CATEGORIA EM GREVE e que sempre esteve aberto ao diálogo, registraram que as negociações seriam retomadas mas não com a greve acontecendo. Lembramos que os servidores penitenciários sabem que o Sindicato vinha tentando este diálogo desde Novembro de 2013.
Por fim, a categoria se reuniu após a conversa com o Governo e deliberou que:
A CATEGORIA PERMANECE EM ESTADO DE GREVE, DEVENDO VOLTAR AOS TRABALHOS NA SEGUNDA-FEIRA
Dentro de 30 dias realizaremos uma ASSEMBLEIA GERAL e deliberaremos sobre retomada ou não do movimento de greve. Neste período buscaremos a negociação de nossa pauta. Registramos que o governo encaminhou o projeto de reajuste de 15.76% para os policiais civis, dividido em três parcelas, com a primeira parcela em 2015. Deste modo caso consigamos êxito nas negociações, é possível garantir este mesmo reajuste nos mesmos prazos. NESTA 2ª FEIRA O SINDICATO BUSCARÁ A ANISTIA DOS DIAS EM GREVE.
VENCEDOR NEM SEMPRE É O QUE VENCE, MAS AQUELE QUE LUTA PELA VITÓRIA.
ENCERRAMOS UMA BATALHA, MAS NÃO TERMINAMOS A GUERRA.
MEUS RESPEITOS E ADMIRAÇÃO A TODOS QUE LUTARAM “POR TODOS” COM DIGNIDADE, HONRADEZ E CORAGEM.

Comunicado

Estaremos aguardando até às 18 horas do dia de hoje a reunião com a Civil.
A partir de amanhã estaremos orientando a radicalização do movimento. 
Desde já comunicamos a todos os integrantes do comando de greve no estado que entrem em contato urgente com o sindicato a partir das 18 horas de hoje, exclusivamente via e.mail.